Discotecagem em vinil agita Casa do Jazz com clássicos do gênero

Neste sábado (07/03), às 19h, o DJ paulista Renato Henriques de Souza agita a Casa do Jazz, no Largo São Sebastião, ao lado do Teatro Amazonas, com uma discotecagem, com discos de vinil, de diversas vertentes e épocas do jazz. A apresentação faz parte da programação cultural gratuita oferecida pelo espaço, que funciona diariamente, das 9h às 21h.

Educador, multinstrumentista e colecionador de instrumentos musicais antigos e LPs, Renato fará uma sequência de clássicos e marcos do gênero, com artistas como John Coltrane e McCoy Tyner, bem como aproximações do jazz com a cultura popular, visitando obras como o tema de “A Pantera Cor-de-Rosa”, de Henry Mancini, e o tema de “Jonny Quest”, com Frank Rosolino. Também destacará diversos arranjos jazzísticos para o cinema, de artistas como Lalo Schifrin e Quincy Jones.

Natural de Campinas, o DJ iniciou a carreira musical em 1991, como contrabaixista, participando de projetos que iam do blues ao punk. Na mesma época, se estabeleceu como DJ no estado de São Paulo, discotecando em festas fixas como ModClub, Start!, Action e em eventos em casas noturnas. Em 2010, se mudou para Manaus para trabalhar como educador e também atuou como contrabaixista em projetos como Os Acossados (garage/punk) e Monike y Los Rezagados (R&B, soul, jazz, blues e early-rock), e como DJ, discotecando em espaços e eventos variados.

Programação – Além de apresentações musicais todos os sábados, a Casa do Jazz oferece aos visitantes a oportunidade de conhecer mais sobre o gênero musical – suas origens, características, sons e instrumentos – através de uma programação que envolve cinema e exposições. A proposta é “aquecer” o público para o 10º Festival Amazonas Jazz, que ocorre de 21 a 29 deste mês.

As sessões de cinema ocorrem a partir das 19h, de segunda a quinta-feira; nas sextas-feiras serão exibidos dois filmes, às 17h e às 19h; e aos domingos, às 18h. A agenda completa com as obras que serão exibidas está disponível no Instagram do evento (@festivalamazonasjazz).

Já as exposições se dividem entre a Sala Experiência, que reproduz o ambiente dos tradicionais clubes de jazz de Nova York e faz uma homenagem à Amazonas Band, que está celebrando 20 anos de criação, e a Sala Conheça o Som do Jazz , onde quem sonha em ser músico por um dia pode tocar um instrumento musical de sopro.

A Casa do Jazz ainda possui uma lojinha com produtos personalizados do Festival Amazonas Jazz e o Café Blue In Green, que tem o nome inspirado em uma canção do trompetista e compositor norte-americano, Miles Davis (1926-1991), um dos mais lendários músicos do gênero.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − 10 =

Skip to content