AMAZONASDESTAQUEMEIO AMBIENTE

Governo inicia plano de contingência na saúde para mitigar os efeitos da iminente estiagem severa

Planejamento inclui reforço no envio de medicamentos para municípios das calhas do Madeira, Juruá, Purus e Alto Solimões

A Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM), começou a colocar em prática um plano de contingência para mitigar os efeitos da estiagem severa que deve atingir os municípios neste segundo semestre. O planejamento inclui reforço no estoque de medicamentos e insumos dos municípios, fortalecimento da Telessaúde para consultas on-line, e remoção de pacientes, em casos emergenciais.

De acordo com a secretária estadual de Saúde, Nayara Maksoud, nesse primeiro momento, a prioridade é abastecer com n medicamentos e insumos os 34 municípios das calhas do Madeira, Juruá, Purus e Alto Solimões, onde o problema da estiagem costuma ser mais severo.

Nesta segunda-feira (01/07) uma balsa sai de Manaus a caminho dos municípios da Calha do Juruá, para atender sete municípios: Juruá, Carauari, Itamarati, Eirunepé, Envira, Ipixuna e Guajará. Na última sexta-feira (28/06), duas outras embarcações já haviam seguido para abastecer a rede hospitalar dos seis municípios da Calha do Madeira: Apuí, Borba, Manicoré, Humaitá, Novo Aripuanã e Nova Olinda do Norte.

Outras embarcações estão previstas para sair da capital amazonense nos dias 4 e 5 de julho, com destino às calhas do Purus e Alto Solimões. A ação está sendo coordenada pela Central de Medicamentos do Amazonas (Cema) da SES-AM e conta com o apoio das Secretarias Municipais de Saúde.

Nayara Maksoud explica que as ações fazem parte do plano desenhado pelo Governo do Amazonas para o período de estiagem, abrangendo os vários setores que são impactados durante o período. “A maioria dos municípios do interior utiliza os rios para locomoção de pessoas, materiais e insumos indispensáveis à manutenção das atividades rotineiras, econômicas e de saúde também”, afirmou.

O regime de cheias e vazantes afeta diretamente e de forma significativa o cotidiano de quem vive no interior, em especial. Em 2023, o Estado registrou a maior estiagem em 120 anos e a perspectiva é de que esse ano a situação possa se agravar também.

“O governo do Amazonas está se preparando para que possa dar apoio a todos os municípios afetados e em todas as áreas. Os órgãos estaduais estão todos de sobreaviso e em campo”, ressalta a secretária Nayara Maksoud.

Entre as ações previstas no plano de contingência da SES-AM, segundo ela, está o envio, para os municípios, de hipoclorito para o tratamento da água, além de reforço no abastecimento de vacinas e soro antiofídico.

“Estamos com um aplicativo em tempo real como ferramenta para monitoramento do plano de contingência de enfrentamento da estiagem”, adiantou.

O Complexo Regulador, informa a secretária Nayara Maksoud, também está com equipes de prontidão para a remoção de pacientes para Manaus, quando necessário. A SES-AM também está fortalecendo o serviço de Telessaúde, para a realização de consultas remotas aos pacientes do interior.

Fotos: Divulgação SES-AM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo