Jornalista Náferson Cruz lança obra de ficção sobre mitologia indígena amazônica

 ‘Guardiões – Tempos Surreais, traz histórias repletas de magia, batalhas, aventuras e autodescoberta para todos que amam contos surreais e literatura fantástica”, destacou o escritor

O jornalista, compositor e escritor amazonense Náferson Cruz lançou pela plataforma bookbec, o livro ‘Guardiões – Tempos Surreais (Editora Becalet, 50 páginas). A obra é a terceira publicação editorial do escritor e versa sobre os mitos de diversas etnias da Amazônia. Tudo em um contexto ficcional para que o leitor viaje nas histórias contadas pelo autor.

O livro segue o padrão pocket, que são obras no formato de bolso e pode ser adquirido pela internet e também no formato físico assim que lançado a partir da primeira quinzena de dezembro. De acordo com o escritor, a ideia é “Enveredar na ficção, na mitologia indígena da Amazônia que povoa as páginas do livro”, detalhou Cruz.

Ainda de acordo com ele, ‘Guardiões…’ propõe uma leitura no universo cosmológico xamânico, na resistência cultural dos povos ancestrais e na luta pela preservação da floresta. “São histórias repletas de magia, batalhas, aventuras e autodescoberta para todos que amam contos surreais e literatura fantástica”, destacou o escritor amazonense.

Capítulos

Dividido em cinco capítulos, ‘Guardiões – Tempos Surreais’ apresenta o surrealismo dentro do espectro étnico das histórias captadas pelo escritor. Em ‘Maiadesh e os Guerreiros do Tempo’, Náferson apresenta uma saga indígena que luta contra as intempéries de legiões sobrenaturais para salvar a natureza e a ‘mãe terra’.

Já em ‘A Floresta Sobrenatural do Kurabás’, Náferson Cruz apresenta a personagem Aianãri, rainha do clã Kurabá, trava um duelo contra o nevoeiro de almas canibais. A missão da guerreira é salvar o povo Kurabá e ao mesmo tempo regar a semente da vida que fará florescer a ‘Grande Wazaká’, a árvore da vida.

Em ‘A Árvore Cantante e o Voo de Suiákayami’, o autor apresenta a preservação da Amazônia no entrelaçamento entre a ‘cunhantãe’ Suiákayami e a lua. A luta da pequena indígena é para estancar o desmatamento da floresta. Para isso, Suiákayami adentra um tronco de árvore e assim inicia a saga pela vida. “É um livro que diverte e descortina um universo mítico único”, finalizou Náferson Cruz. 

Sobre o autor

Náferson Cruz é jornalista, compositor, escritor e poeta. É membro da Academia de Letras e Culturas da Amazônia (Alcama) e da União Brasileira de Compositores (UBC). Em 2018 recebeu menção honrosa na inserção de destaque do Prêmio Sarau Brasil. No mesmo ano foi selecionado para compor o projeto paraense ‘Jaçana – Poéticas Sobre as Águas’.

É compositor de mais de 30 obras para o aclamado festival folclórico de Parintins. Foi correspondente do UOL/Folha de São Paulo. Atuou nos jornais: O Estado Amazonas, A Crítica, Diário do Amazonas, Dez Minutos, A Tarde e Amazonas Em Tempo. A obra ‘Guardiões – Tempos Surreais’ é seu terceiro livro.

Foto: Ricardo Oliveira/divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze − 9 =

Skip to content